terça-feira, 15 de março de 2011

Nova Eleição

Bom...meu nome é Khrys Stefanny ex aluna da Escola NM-6,e ex presidente do 1º Grêmio Estudantil da escola,vim aqui relatar como foi a gestão passada do grêmio.Vamos lá então....Foi muito boa nossa gestão,pode até ser que algumas pessoas discordem,mas pra quem foi o 1º grêmio está bom d+,foram realizadas várias atividades que nunca ninguém pensou em fazer ex:


  • capinar dentro e aos arredores da escola todo fim de semana (mutirão da limpeza) sendo reconhecido até pela própria comunidade, infelizmente a direção não nos apoiava,e se apoiava nunca demonstrou isso.
  • plantar a horta,diretor do meio ambiente foi convidado a participar de várias palestras e cursos,aprendendo e ensinando aos alunos como cuidar da horta
  • recreações diversas com turno da manhã e tarde,hora do recreio no turno da tarde agente colocava um som ,até que um dia a diretora(Silvana)se envocou e proibio o Grêmio usar a caixa de som (como se a caixa fosse dela shaushaushu)
  • FESTAS,era uma polêmica com todos funcionários da escola(principalmente com a professora Núbia) que julgavam o grêmio,chamando-o de festeiro...Venho aqui repetir que o Grêmio apenas fez UMA festa que venha dizer que foi O GRÊMO QUE FEZ SEM NENHUM PEDIDO,pois as outras festas foi a direção que sentou com agente e pedio ajuda,como a festa dos dias das Mães em 2009 todos falavam que numca tinham visto uma festa daquela,festa junina,dia dos pais e por ai vai...eu ex Presidente do Grêmio tenho orgulho pois todos diretores,alunos e a comunidade soubemos trabalhar em equipe e fizemos todas estas festas lindas e nada deu errado e a direção e alguns professores contribuíram pouquíssimo sinto em falar isso ,mas é a verdade.
  • Atividades esportivas-bom vale lembrar das brigas minha com joão,todos que praticavam esportes tinham preconceitos com mulheres ensinando a jogar bola..nossa!! e quem era diretor de esporte era justamente uma mulher,mas provamos que mulher também joga bola...quem treinava sabia que todos fins de semana estava agente 6 horas da manhã na quadra ensinando a turma..marcamos jogos com outras escolas,arrumamos um professor da comunidade para ensinar melhor e por ai vai...e as brigas nas quadras...a comunidades e os estudantes querendo jogar...affz passamos mal tempos ali...
  • Lutas-participamos de várias passeatas,contra a violência a mulher,contra o aumento das passagens de ônibus,a qual ocupamos a câmera de vereadores,fizemos um baixo-assinado pedindo melhorias para a Escola e levamos la na Gerência de Educação (conseguimos o professor de educação física, consertos provisoriamente nos computadores,professores que estavam faltando,e vocês acham que os moveis novos ,bebedouros novos e várias coisas foi quem que conseguiu??O Grêmio e a UESP fizemos um dossiê com todos os problemas da Escola,além disso fizemos vários cursos de capacitação,fomos para vários congressos,da UBES,UESPE,UESP,UJR e etc...lutamos por nossa escola,para melhora-la,mas não fomos reconhecidos,apoiados ,compreendido...e sim julgados...foi simplesmente um Inferno, professores passavam em salas nos apontando,principalmente professora Núbia,a própria diretora queria mandar no grêmio...ficou tão insuportavél..

Depois de toda perseguição de professores aos diretores do Grêmio...abandonamos a nossa gestão e não chegamos até o final dela....Mas cumprimos todas nossas promessas de campanha..
Desejo sorte a chapa que ganhar e entregarei este blog ao novo presidente eleito...
Quero aqui parabenizar toda a diretoria do Grêmio gestão 2009/2010...e também aos novos diretores da União dos Estudantes Secundaristas de Petrolina(UESP)
VITALICÍO e ELAINE



"É preciso sonhar, mas com a condição de crer em nosso sonho, de observar com atenção a vida real, de confrontar a observação com nosso sonho, de realizar escrupulosamente nossas fantasias. Sonhos, acredite neles."

Vladimir Ilitch Lenin


Khrys Stefanny
Tesoureira da uesp e militante da ujr
EX Presidente do 1º Grêmio da Escola NM-6

quarta-feira, 31 de março de 2010

Passeata contra o aumento da passagem e entrega do BAIXO-ASSINADO!!!

Estudantes da nossa Escola NM-6,participaram de uma passeata contra o aumento da passagem de ônibus e das ''topiques''.Na última segunda-feira(29 de Março de 2010) estudantes sairam para as ruas protestando contra este preço abusivo das passagens,e entregaram um Baixo-Assinado pedindo que o direito dos estudantes de pagar meia cutural seja respeitado aqui em Petrolina,uma Lei que deveria ser respeitada,mas não é!!!
Depois dos alunos da nossa Escola ter assistido a sessão na Câmera dos Vereadores,saímos para o ''Nosso Protesto'' na Gerencia Regional de Educação-GRE, onde entregamos o nosso Baixo-Assinado para ''Aparecida Alves''a qual ficou surpresa quando relatamos ser estudantes da Escola NM-6,e estava-mos pedindo urgentemente melhorias para Escola como:

1.Funcionamento da Biblioteca nos 3 turnos,contratação de uma Bibliotecária.
2.Concerto dos computadores do laboratório de informática e novos computadores
3.Ampliação da Escola,auditório,laboratório de química,sala do Grêmio e sala da Direção
4.Cobertura da Quadra de Esportes e equipá-la para modalidade de Basquete e Vôlei,e Professor de Educação Física
5.Novos Bebedouros,Presença da Patrulha Escolar constantemente

Fizeram um jogo de empurra problemas ''pra cá e pra lá''.Conseguimos marcar uma nova reunião com ela pra depois do feriadão vamos ver no que vai dar né!!!!


Quero aproveitar este espaço aqui e dizer a todos os estudantes que participaram da passeata que estão todos de Parabéns por ter ido,protestado os nossos direitos,enfrentaram todas as dificuldades para estarem lá,e não deixaram nada e nem nimguém os convencerem que não era pra estarem lá reivindicando nossos direitos e sim dentro de uma sala de aula.Terão muito mais protesto...!a nossa luta não acabou...


PARABÉNS!!!!










Khrys Stefanny -Presidente do Grêmio da Escola
NM-6. Representante da UESP(União dos Estudantes Secundarista de Petrolina) e Militante da UJR(União da Juventude Relelião)

quinta-feira, 11 de março de 2010

Dia Internacional da Mulher

PORQUÊ O DIA 8 DE MARÇO

Neste dia, do ano de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve, ocupando a fábrica, para reivindicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias que, nas suas 16 horas, recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica onde, entretanto, se declarara um incêndio, e cerca de 130 mulheres morreram queimadas. Em 1910, numa conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como "Dia Internacional da Mulher". De então para cá o movimento a favor da emancipação da mulher tem tomado forma, tanto em Portugal como no resto do mundo


O QUE SE PRETENDE COM A CELEBRAÇÃO DESTE DIA

Pretende-se chamar a atenção para o papel e a dignidade da mulher e levar a uma tomada de consciência do valor da pessoa, perceber o seu papel na sociedade, contestar e rever preconceitos e limitações que vêm sendo impostos à mulher.

HISTÓRIA DO DIA INTERNACIONAL DA MULHER - 8 de março, conquistas, comemoração, lutas, origem do Dia da mulher

Conquistas das Mulheres Brasileiras

Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo.


HISTÓRIA DO DIA INTERNACIONAL DA MULHER - 8 de março, conquistas, comemoração, lutas, origem do Dia da mulher

Marcos das Conquistas das Mulheres na História

  • 1788 - o político e filósofo francês Condorcet reivindica direitos de participação política, emprego e educação para as mulheres.

  • 1840 - Lucrécia Mott luta pela igualdade de direitos para mulheres e negros dos Estados Unidos.

  • 1859 - surge na Rússia, na cidade de São Petersburgo, um movimento de luta pelos direitos das mulheres.

  • 1862 - durante as eleições municipais, as mulheres podem votar pela primeira vez na Suécia.

  • 1865 - na Alemanha, Louise Otto, cria a Associação Geral das Mulheres Alemãs.

  • 1866 - No Reino Unido, o economista John S. Mill escreve exigindo o direito de voto para as mulheres inglesas

  • 1869 - é criada nos Estados Unidos a Associação Nacional para o Sufrágio das Mulheres

  • 1870 - Na França, as mulheres passam a ter acesso aos cursos de Medicina.

  • 1874 - criada no Japão a primeira escola normal para moças

  • 1878 - criada na Rússia uma Universidade Feminina

  • 1901 - o deputado francês René Viviani defende o direito de voto das mulheres



Na nossa Escola esta sendo realizado algumas atividades em comemoração ao Dia Das Mulheres...

No dia 8 de Março foi destribuídos pirulitos para as Mulheres com uma pequena mensagem,e um panfleto alertando sobre a violência contra as Mulheres.Neste mesmo dia houve uma passeata contra qualquer tipo de violência contra a Mulher,na qual o grêmio foi representando a Escola.

No dia 11/03 vai ser apresentado tanto no turno ta tarde quanto da noite o filme ''OLGA'',que relata a história de uma mulher que queria mudar o mundo fazer uma revolução,uma história muito bonita de força e coragem.

No dia 12/03 haverá uma palestra com Socorro Larceda,falando a importância da mulher nos tempos de hoje..haverá algumas apresentações dos alunos...

No dia 18/03 haverá uma palestra com o núcleo de apoio contra violêcia as Mulheres,debatendo a importâcia do assunto.

Importante a participação de todos..


Khrys Stefanny(vice-presidente do Grêmio)


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Defenda seu direito:Tire sua carteira de estudante da UESP

A carteira de estudante da UESP(União dos Estudantes Secundaristas de Petrolina) e da UESPE(União dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco),é um documento de indentificação estudantil,com validade de um ano e que nos dá o direito á meia-passagem municipal e meia-entrada cultural.
Este direito não caiu do céu,houve muita luta para que hoje todos os Estudantes tenha este direito.Atualmente empresários emitem a carteira de Estudante sem nenhum compromisso com a luta estudantil.Não é a toa que a passagem de ônibus ou dos transportes alternativos é abusiva e sofre constantemente aumentos sem que nada seja feito. Vamos confiar em quem??Nos empresários que não tão nem ai para os estudantes e só querem lucrar com o dinheiro das carteiras??Ou vamos confiar numa entidade estudantil que representa os Estudantes em Petrolina e luta pelo direitos dos estudantes??
Os formulários já estão disponíveis na diretoria da Escola NM-6 pegue o seu!!
Para fazer a carteira de Estudante é preciso:
*1 foto 3 por 4
*Formulário preenchido
*A taxa de $7,00
É só!!!
Tire a sua carteira de Estudante!!defenda um direito que é seu!!!
Khrys Stefanny vice-presidente da Ecola NM-6

domingo, 7 de fevereiro de 2010

LIVRO ANNE FRANK


O Diário de Anne Frank – Versão Definitiva (Otto H. Frank e Mirjam Pressler)

Todos conhecem a história profundamente dramática da jovem Anne Frank. Publicado pela primeira vez em 1947, por iniciativa de seu pai, o diário veio revelar ao mundo o que fora, durante dois longos anos, o dia-a-dia de uma adolescente condenada a uma voluntária auto-reclusão, para tentar escapar à sorte dos judeus que os alemães haviam começado a deportar para supostos «campos de trabalho». Tentativa sem final feliz. Em Agosto de 1944, todos aqueles que estavam escondidos no pequeno anexo secreto onde a jovem habitava foram presos. Após uma breve passagem por Westerbork e Auschwitz, Anne Frank acaba então por ir parar a Bergen-Belsen, onde vem a morrer em Março de 1945, a escassos dois meses do final da guerra na Europa. Traduzido em 67 línguas, este documento excepcional, de que a Livros do Brasil se orgulha de lançar agora a edição definitiva, vendeu já mais de 31 milhões de exemplares e é, seguramente, um dos livros mais lidos, discutidos e amados de toda a história do mundo. Importa enfim acrescentar que esta edição definitiva contém toda uma série de passos que haviam sido omitidos por decisão do pai, que não tinha querido que alguns comentários de Anne Frank relativos à mãe fossem divulgados. O resultado final é um retrato extraordinário de uma adolescente em busca da sua identidade, durante um dos mais trágicos períodos jamais vividos pela humanidade.

Eu li...É muito linda a história..chorei tanto no final onde o próprio pai relata sua morte...um livro que vale muito apena ser lido,pois conta relatos sobre a pior guerra que o mundo já presenciou..

Khrys Stefanny-vice-presidente do Grêmio da Escola NM-6

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

O GRÊMIO E A COMUNIDADE NM-6 LUTANDO DE MÃOS DADA

O Grêmio da Escola Moradores-6 junto com a comunidade do Projeto Moradores Núcleo 6,lutaram no último dia 20 de janeiro de 2010,contra a falta de Saneamento básico.

Todos se mobilizaram e realizaram um trabalho que deveria há muito tempo já te sido realizado pelas as autoridades responsáveis por isto.Projetos de Irrigação Nilo Coelho sofre muito com a falta de saneamento básico,estradas em péssimo estado,falta de iluminação pública,as Escolas que deveriam ter boas condições para melhor ensinar alunos da zona rural,faltam professores...bibliotecas... laboratórios de informática,a estrutura das escolas são pequenas para abrigar os alunos,não possuem quadras poli-esportivas entre outros problemas que atingem as comunidades dos Projetos de Irrigação,tornando assim o desenvolvimento escolar das crianças..jovens e adultos que estudam,inferior ou desestimulante para prestar um vestibular ou um concurso.
Devemos lembrar as autoridades responsáveis que os Projetos de Irrigação é ''SIM'' importante e responsável de manter a economia de PETROLINA,estável e crescente.Mas quando pensam em fazer ''melhorias'' na cidade...os Projetos de Irrigação parece serem Esquecidos, parecem não Existirem.
''ATENÇÃO NÉ!!!"Zona rural também necessita de ''melhorias'',por aqui nos Projetos de Irrigação,moram ''trabalhadores,mulheres,idosos,crianças,jovens e estudantes''.Que precisam de projetos que desenvolva e cresça os seus negócios,precisam água tratada,de praças para levarem seus filhos para ter um pouco de lazer,precisam de projetos que envolvam cultura e orientações sobre diversos assuntos além de muitas coisas de que necessita as comunidades rurais, elas também querem e precisam de Escolas adequadas para estudarem..
O GRÊMIO da Escola Núcleo de Moradores-6 em parceria com a comunidade do Núcleo de Moradores-6,formaremos um baixo-assinado reivindicando melhorias para os Projetos de Irrigação e exigindo o mais rápido possível postos de Saúde,levaremos o baixo-assinado para a Câmara Municipal,a Secretaria de Saúde e se não resolverem o nosso problemas,juntos com os Núcleos e a UESP(UNIÃO DOS ESTUDANTES SECUNDARISTAS DE PETROLINA) faremos manifestações nas ruas iremos provar que os Núcleos de Irrigação tem VOZ que sabem lutar pelo seus direitos.Isso não é só uma luta do Núcleo de Moradores 6 e sim de todos os Núcleos,se unam e lutem pelos seus direito!!!!

''contamos com o apoio a colaboração e as assinaturas de todos...pois dizem que é com a união que se faz a força!!!"

Atenciosamente

Khrys Stefanny vice-presidente do Grêmio da Escola Núcleo de moradores-6 e militante da UJR

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Hipertexto e tecnologias digitais

Resenha Crítica: Hipertexto e Tecnologias de Aprendizagem


O texto do Professor Dr. Antônio Carlos Xavier sobre Hipertexto e tecnologias de Aprendizagem trata de inserir historicamente os docentes sobre a persistência humana em comunicar-se, envolto com as inúmeras tecnologias desde a pré-história até os dias atuais, advindas com o computador. Situa-nos sobre os conceitos de sujeito, língua e sentido para compreendermos o texto ou hipertexto e as modificações sociais ocorridas na escrita e as suas formas de registro, fazendo um levantamento das tecnologias existentes até o suporte imaterial: a tela digital.
Mas, compreender o sentido de texto ou hipertexto e suas modificações sociais requer entender a linguagem dos sujeitos que as usam em diferentes situações, haja vista elas só adquirem vida se usadas dentro de um contexto, não sendo diferente com a escrita.
À intensa evolução da linguagem faz o autor citar Wittgenstein, na obra Investigações Filosóficas apresentando-nos o entendimento de hipertexto como “jogos de linguagem”, tipo um jogo onde analisamos as peças (palavras) e a situação atual do jogo (contexto) e os parceiros (interlocutores) para atingir seus objetivos específicos, focamos no interlocutor e uso que ele faz dessa linguagem. A linguagem é acima de tudo atividade viva em eterna interação com o mundo.
Ainda o autor nos informa que a escrita trouxe para a humanidade consequências e que as TDICs (Tecnologia Digitais de Informação e Comunicação) também, devendo-se ao perfil novo de usuário formado a partir das tecnologias digitais. E também afirma os mais diversos gêneros textuais existentes. E que eles foram e são essenciais para “explicitar”, “descrever”, “consolidar”, “documentar”, “reconhecer” e “formular” toda e qualquer ação do homem.
Devem acompanhar paralelamente a evolução dessa linguagem os seus suportes, assim como a linguagem varia de contexto, as idéias e pensamentos e a perpetuação devem ter suporte de maior durabilidade, não teria sentido permanecer como nos tempos das cavernas. Essa visão tem causado reflexões das mais diversas, muitas vezes, distorcidas, por isso Xavier esclarece que “o livro é um suporte, não é informação, é um meio cultural e não a própria cultura, é parte de um sistema, que inclui: autor, leitor, editor, etc.”. E defini o hipertexto já que tem sido utilizado por diferentes usuários “uma tecnologia enunciativa híbrida e flexível que dialoga com outras interfaces midiáticas e acondiciona formas outras de textualidade”.
A sociedade quer um novo olhar das instituições de ensino na forma ensinar e aprender. Seria assim o poder incomensurável das TDICs e a Internet, tendo como objetivo ajudar e aumentar tudo que se faz e se pode fazer nas atividades humanas, segundo o autor: “Assim as tecnologias entram na vida da humanidade desde sempre com o propósito de auxiliar e ampliar o poder de ação do ser humano no mundo”. O benefício vem da agilidade e velocidade, onde o aprendiz deseja aulas diferenciadas como: atividades interativas, texto não- linear aprendizado autodidata e outras possibilidades aos alunos. Tem o educador o papel, então, de estar inserido tecnologicamente e entender as características do hipertexto. Mas para a contribuição ser valorosa, é necessário o educador redimensionar o modelo pedagógico existente usado por muitos educadores. Xavier (2007) propõe um modelo (Re) construcionista centrado no estudante com equilíbrio, ensino dinâmico, trabalho coletivo e aprendizado customizado.
São inevitáveis as múltiplas possibilidades de contribuições das TDICs e a Internet nos processos de ensino- aprendizagem, porém as instituições escolares devem instrumentalizar os educadores, como também ajudá-los a repensar e se reconhecer dentro dessa Cultura digital chama de Revolução Tecnológica.
Tânia Maria Rabelo

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Encerramento do APRENDER MAIS...

Os alunos do 5º ano da Professora Kelliane do Aprender mais, tiveram suas atividades encerradas com direito a festa e lembrancinhas, eles comemoraram no dia 04/12.







A organização ficou por conta da coordenadora Ineida e da Profª Kelliane.



domingo, 20 de dezembro de 2009

Júri Simulado


Com o objetivo de tomarem um posicionamento, exercitarem a expressão e o raciocínio, diante de um tema de grande comoção nacional, a professora de Língua Portuguesa , Tânia Maria Rabelo, proporcionou aos alunos do 9º ano a participarem de um Júri Simulado do caso de Isabella Nardoni, que chocou o país pelo fato dos envolvidos ser pai e madrasta. O Júri aconteceu no pátio da Escola.
Após a realização do trabalho, a professora fez a avaliação oral com os alunos e eles colocaram os pontos positivos e negativos do julgamento, o que faltou, o que poderia ter acontecido e não aconteceu, o desempenho de cada um, bem como a atuação da platéia.
Esse trabalho foi bastante significativo para a turma, pois eles entenderam na prática como funciona um júri e como é o gênero textual oral trabalhado, apesar do assunto escolhido não ter sido ainda julgado pela justiça de verdade. Ma o que enriqueceu mesmo o trabalho deles foram as diversas pesquisas, tanto na internet como nos jornais impressos, revistas. Colocando-os também para conhecer como são as etapas de um julgamento.

Participantes:
Juíza Laís : dirige e coordena as intervenções e o andamento do júri.
Oficial de justiça Milene: jura dizer a verdade....
Jurados: André, Vanessa Micaelli, Joalisson, Rômulo, Antonio Pereira, Dara, Franciele, : ouvirão todo o processo e no final das exposições, declaram o vencedor, estabelecendo a pena ou indenização a se cumprir.
Advogados de defesa: Adeilma e Mirelle defendem o casal e respondem às acusações feitas pelos promotores.
Promotores (advogados de acusação): Francielma e Andessa Diniz acusaram o casal, a fim de condená-los.
Testemunhas: Flávio( vizinho), Tatiane (médica), Vitalício (pai de Alexandre Nardoni), Kelliane (irmã de Alexandre Nardoni), Elismaiton (porteiro). Eles falaram a favor ou contra os acusados, pondo em evidências as contradições e argumentos junto com os promotores ou advogados de defesa.





"Advogadas de acusação" - Vanessa Diniz e Francielma .


"Advogadas de defesa do casal" - Adeilma e Mirelle.
A Coordenadora Dulce, fazendo a abertura do Julgamento e a "Juíza" Laís, juntamente com a "oficial de justiça" Milene.

O casal "Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá" representados pelos alunos Antoneone e Andréa Barbosa.

by Tânia

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Aprender Mais...

O Programa Aprender Mais, coordenado pela Professora Ineida Cavalcanti, fez exposição de suas atividades no Centro de Convenções de Petrolina, ela coordena o programa na Escola N M 6. A exposição foi no dia 04/12/09, momento onde o Projeto GESTAR II-Português e Matemática, expôs os trabalhos, portfólios,banners,maquetes e outros.

Alunas da escola e a coordenadora Ineide Alunos da Professora Kelliane da 5º ano. Atividades tiras -reescrita de textos, Geometria Criativa- trabalhando com TANGRAM, Contos " Quem conta um conto aumenta um ponto"

Professora de Português Gislane e as alunos do 9º ano.Reestruturação do gênero Textual Paródias e provérbios, através de imagens.


O Professor de Matemática Evandro e a aluna Rita de Cássia 3ºano, trabalhando as áreas de figuras planas, contextualização com o Mapa de Pernambuco.



By Tânia

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

GRÊMIO VEM COM TUDO ANO QUE VEM!!!!!!!!!


Todos alunos da ESCOLA MN-6....Um muito ''OBRIGADO'' pelos muitos votos dizendo ''SIM'' para ''MUDAR''...na última sexta-feira(27/11/09)tomamos posse do cargo....

Já começamos a trabalhar nas nossas propostas ainda este ano no projeto ''HORTA NA ESCOLA'' e ''MUTIRÃO DA LIMPEZA'' esperamos a colaboração de todos!!!Mais os Campeonatos...Escola aberta...e as outras propostas só entraram em rigor mesmo no ANO QUE VEM!!!E espero que todos colaborem viu....Pois se der-mos as mãos pode ter certeza que iremos ser mais fortes...Vamos lutar pela MUDANÇA GERAL da nossa ESCOLA e também da nossa COMUNIDADE!!!!!!!!!!!!!
Khrys Stefanny(Vice-Presidente)

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Grêmio à Vista!!!!!!! POSSE....

A nossa Escola terá o privilégio de empossar os alunos que concorreram dia 19/11 ao Grêmio Estudantil - Nossa Força, Nossa Voz, nome provisório do Grêmio. Gostaríamos de convidar todos que fazem a nossa escola e principalmente VOCÊ aluno.

Contamos com sua presença!!!
Local: Escola N M 06(quadra da escola)
Horário: 19h
Data: 27/11/09

Nossa Força, Nossa Voz!!!
Até lá!!!

Kris Stefany (vice presidente do grêmio)

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Alunas do 9º ano representam alunos da Escola...

Professora Anete recebendo o abaixo- assinado das alunas Adeilma e Andressa.

Professora Ana Maria lembrando que está como gestora para apoiar atitudes que melhorem a Escola.
As alunas do 9º ano, Adeilma e Andressa, representaram os alunos da Escola Núcleo de Moradores- 06 na Gerência Regional de Educação -GRE de Petrolina, elas estavam acompanhadas pela Gestora da Escola, Ana, e a Professora de Língua Portuguesa, Tânia. Elas entregaram a Profª Anete Ferraz, gestora dessa repartição pública,um abaixo-assinado solicitando com urgência a ativação do Laboratório de Informática. Isto porque, desde agosto de 2008, o laboratório está desativado, por conta da reforma estrutural do prédio escolar,onde os trabalhadores cortaram o sinal da internet e não providenciaram a instalação da parte elétrica dos equipamentos. Na ocasião Profª Anete ficou muito feliz em recebê-las e disse que adora quando os alunos procuram a Gerência, prova disso é que mesmo tendo um evento com hora marcada a profª não deixou de recebê-las.
Na ocasião, falou da importância do jovem participar ativamente das ações da escola,bem como elogiou a atitude dos alunos, lembrando a União Nacional dos Estudantes- UNE, destacando o poder estudantil de reivindicar e mobilizar todos por uma educação de qualidade. Sorte para todos que fazem a escola!
Proª Tânia


domingo, 16 de agosto de 2009

Game da reforma Ortográfica

O Game é fruto de uma parceria entre o Complexo Educacional FMU e o LivroClip. O jogo é baseado no livro Guia da Reforma Ortográfica idealizado pela FMU e pelo Museu da Língua Portuguesa. Todo o conteúdo teve a chancela do professor Ataliba T. de Castilho, especialista em Língua Portuguesa.

Criação Livroclip

Aperte PLAY e veja

Game da reforma Ortográfica

domingo, 26 de julho de 2009

É difícil um bom Gestor, mas existe...

Agradar a todo mundo a gente sabe que é impossível. Mas qual é o perfil de um bom gestor ou gestora ? Possuir as características de um excelente Gestor também é difícil , mas veja se o Gestor de sua Escola possui algumas dessas:


1) Ter predisposição para trabalhos coletivos. Saber trabalhar em equipe, ouvindo os segmentos que atuam na escola: professores, alunos, pais, comunidade e governo, afinal o que se deseja é que a pessoa tenha espírito democrático e faça uma gestão participativa.

2) Ser articulador dos segmentos internos e externos. O gestor deve ser uma pessoa que esteja sempre aberta ao diálogo,mesmo que alguns segmentos não saibam dialogar,buscando a maior interação possível com esses grupos em favor do desenvolvimento de sua escola.


3) Ter iniciativa e firmeza de propósito para realização de ações : o diretor precisa ser uma pessoa sempre disposta a estimular e incentivar as ações positivas de seu estabelecimento, sempre que possível encabeçando essas iniciativas ou à frente delas, junto das pessoas que as iniciaram.

4) Ser conhecedor dos assuntos técnicos, pedagógicos, administrativos, financeiros e legislativos: o diretor deve estar atualizado com relação a todos esses temas e como eles afetam a gestão da escola.

5) Ter espírito ético e solidário: o diretor precisa conduzir suas atribuições sempre respeitando os princípios éticos, com imparcialidade e isenção, mas sem ser ausente e distante dos acontecimentos. Também deve promover que todos na escola também respeitem estes princípios.


6) Conhecedor da realidade da escola: o diretor precisa conhecer não apenas a escola internamente, mas a comunidade envolta da escola. Ele deve entender o contexto da sociedade em que a escola está inserida, conhecer o meio onde os alunos vivem, entender suas famílias e descobrir os problemas que cercam a escola e também os pontos positivam existente envolta dela. O diretor precisa saber que tudo o que acontece fora da escola acaba exercendo influência dentro dela.


7) Ter credibilidade na comunidade: o diretor precisa ser uma pessoa que transmita credibilidade, quer na sua conduta profissional, como pessoal e até mesmo na familiar. As pessoas, na maioria das vezes, avaliam o comportamento do diretor da escola com o comportamento que ele apresenta na vida social. Portanto, é de se esperar que a pessoa que venha a ser diretor de uma escola, seja uma pessoa de credibilidade junto a comunidade que ele representa.


8) Ser um defensor da educação: o diretor precisa acreditar no modelo de ensino, nas práticas educacionais e no sistema de educação como um todo. Deve também ter compromisso na elaboração e execução das políticas públicas e, além de acreditar, deve repassar para os outros, esse seu entusiasmo.


9) Ter liderança democrática e capacidade de mediação. Sabemos que estamos sendo repetitivos, mas o diretor para poder dirigir a escola precisa saber ouvir a todos, dividir responsabilidades e ser capaz de mediar conflitos e oposições. Somente assim é que ele irá construir uma gestão democrática e participativa.


10) Ser capaz de auto-avaliar-se e promover a avaliação do grupo. O diretor precisa saber que nem sempre está certo e que nem sempre tem razão, nem ele e muitas vezes nem o grupo. Por isso, ele deve ser capaz de reconhecer isso e tomar as medidas necessárias para corrigir suas deficiências e as deficiências do grupo. Entenda isso, como um sinal de humildade. Ao fazer uma avaliação de si mesmo e do grupo o diretor está tendo a grande oportunidade de medir seus erros e acertos e corrigi-los a tempo antes que seja tarde demais e comprometer todo o seu trabalho e o trabalho de sua equipe.


11) Ter a capacidade de resolver problemas: o diretor deve ser capaz de ver, ouvir, sentir o problema no momento e no local onde está acontecendo, sem fugir dele e sem tentar adiar a sua solução. Os problemas sempre irão existir e o diretor deve dar encaminhamento a eles, procurando resolve-los de forma definitiva e não tomando medidas paliativas que somente acobertem o problema naquele momento, permitindo que mais tarde eles se repitam. Sempre busque a ajuda e a participação de outras pessoas para ouvir suas opiniões sobre a questão e dividir as responsabilidades pelas decisões tomadas.

12) Ser transparente e coerente nas ações. O diretor deve sempre tomar conhecimento de todas as ações e decisões e fazendo isso de forma antecipada não esperando que venham primeiras as cobranças para só depois dar esclarecimentos, pois isso pode gerar dúvidas sobre a sua gestão, causando um clima de desconfiança entre as pessoas. Portanto, a palavra chave é comunicação. O diretor deve prestar contas de seus atos e, para isso, poderá utilizar os diversos meios de comunicações existentes e disponíveis na escola para dar clareza e retidão aos seus atos. Não deve agir por impulso e demonstrar coerência entre aquilo que ele diz e aquilo que ele faz.


autora Rosângela rosangelaeducaparaofuturo
Parabéns Professora Ana Maria.

Greve dos professores do Estado de Pernambuco e os elevados índices de violência do Estado

O texto abaixo foi cordialmente enviado pelo professor Gildemarks Costa e Silva, que é doutor em educação pela UNICAMP e leciona na UFPE. Nós agradecemos a colaboração e recomendamos visitas ao blog editado pelo professor Gildemarks: http://paralelas-recife.blogspot.com/
.
Greve dos professores do Estado de Pernambuco
e os elevados índices de violência do Estado

Por Gildemarks Costa e Silva
.
Na abertura da I Conferência Estadual de Segurança, o Governador Eduardo Campos foi confrontado com protesto dos professores estaduais que estão em Greve por melhores salários. Curiosamente, o Governo que procura alternativas para a redução dos alarmantes índices de violência do Estado de Pernambuco esquece que a condição de professores com salários deploráveis se constitui em um estímulo ao aluno a não acreditar nas promessas de melhoria social por meio da escola e, em alguns casos, se voltar para "os mundos da criminalidade".
.
Como há controvérsias públicas sobre o valor do salário dos professores em Pernambuco (sindicato/Governo), o melhor é se concentrar no valor que a imprensa divulgou (mês de julho/09) para a contratação de professores temporários, pois isso é um indicador de como o Governo do Estado vê esse profissional. O salário divulgado é de R$ 618,00 para um professor com 150hs/aula. Ora, não precisa ser economista para perceber que viver com tal salário, principalmente se o professor tiver filhos, implicará uma vida com acesso restrito a determinados bens de consumo. Se o professor conseguir alimentar sua família com dignidade com R$ 618,00 já é muito, nem pense em plano de saúde, carro, residência confortável, compra de livros, viagens culturais etc.
.
Pois bem, a existência de um profissional com baixos salários mina a própria crença de que estudar permite acesso a uma vida melhor. Sabe-se que entre as principais motivações para se frequentar a escola está a promessa de que após anos de estudos se consegue uma vida melhor. A escola exige do aluno esforço, disciplina; ela exige isso com o discurso de que tal esforço um dia será recompensado com a melhoria na qualidade de vida; a escola na modernidade se baseia, em muito, no anúncio que um dia o estudo irá permitir bons salários, mudança de classe social etc. Como é que o aluno irá acreditar que um dia será alguém por meio da escola se ele sabe que o professor tem baixos salários, se o professor usa o mesmo ônibus superlotado, se está na mesma fila do posto de saúde pública dos alunos mais pobres, se é um profissional que sequer está em condições de dar vida digna para sua família, isso após anos de dedicação aos estudos? Não é à toa, então, que, cada vez mais, jovens pobres se coloquem a questão: "estudar para quê"?
.
Ora, ao não ter uma resposta com sentido para essa questão, é possível que muitos desistam de estudar e, em alguns casos, possam até escolher outros caminhos (como o da criminalidade) que, talvez, tenham (na visão deles) muito mais sentido. Assim, o Governador Eduardo Campos talvez tenha perdido uma boa oportunidade de anunciar na abertura da I Conferência Estadual de Segurança Pública uma alternativa consistente para diminuir os alarmantes índices de violência do Estado de Pernambuco: fazer a instituição escolar ganhar sentido para todos, especialmente para os mais pobres. Para isso, sem dúvida, um primeiro passo é ter um professor com salário digno.
Blog Alternativa

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Paciência - Lenine

Dom Quixote- Miguel de Cervantes

Criação Livroclip

Dom Quixote

Sobre a obra:
Não há quem já não tenha ouvido falar de Dom Quixote, o célebre personagem que, enlouquecido pelos romances de cavalaria de uma Europa que estava saindo da Idade Média, decide se armar cavaleiro e ir combater as injustiças do mundo em nome de seu amor imaginário, Dulcinéia Del Toboso, e acompanhado de Sancho Pança, seu fiel escudeiro. Considerado por muitos o melhor romance jamais escrito, consegue ser lírico e satírico ao mesmo tempo e sobrevive já há cinco séculos de idade. Sucesso desde seu lançamento (cópias piratas circularam por toda a Espanha na época), o autor foi forçado a fazer uma continuação, pois enredos apócrifos com novas aventuras do personagem já tinham começado a surgir.

sábado, 11 de julho de 2009

O prazer de Dançar...

A aprendizagem não só ocorre quando o aluno fica sentado e de preferência quieto, como muitos julgam, outros acreditam que quanto mais o aluno esteja envolvido só com os conteúdos e a fala do professor eles aprendem.
A nossa Escola vem desenvolvendo ao longo desses anos, diversas ações de aprendizagem e no ano de 2006, realizou um projeto que priorizasse as danças do nosso Estado e região, buscou a parceria de um Coreógrafo e Professor de dança, Marcos, do Grupo BALANÇART para despertar no(a) nosso(a) aluno(a) o prazer dos passos das danças que ainda não estavam incluídas no projeto: frevo, ciranda, coco, forró.
Apesar dos recursos ínfimos, os esforços já dão alguns resultados. Isto porque o trabalho desenvolvido, visava privilegiar não só os estilos mencionados, mas o prazer de estar na escola.
Ações como essas vem somar com o que é oposto a "disciplina" do ficar quieto, porque é preciso ver o aluno na sua totalidade como um ser único, ávidos por encontros mais interessantes com a escola e com seus professores.
Todos sabem que a educação deve ser global, voltada para inclusão de todas as áreas, e isso pressupõe a dança como ARTE. Elemento fundamental para se expressarem e contribuírem para minimizar os conflitos existentes dentro da escola, bem como ajudar no processo de ensino aprendizagem. E é a dança que dá esse tom colaborativo para diminuir as tensões que por ventura possam vir a existir.
Não importa o grau de escolaridade, deve-se priorizar a livre expressão do corpo. É um erro entender que movimentos perfeitos, tipo Ballet ou um padrão técnico imposto, gera a ARTE e assim deve-se entender. Pelo contrário internaliza a insegurança e a competitividade entre os alunos. Não que isso seja ruim, mas o objetivo principal é despertar o prazer de dançar.
Devemos entender a partir do pressuposto de que o movimento é uma forma de expressão e comunicação, objetivando torná-lo um cidadão crítico, participativo e responsável, capaz de expressar-se em variadas linguagens, desenvolvendo a auto-expressão e aprendendo a pensar em termos de movimento como prevê os PCNs. Foi a partir desse pensamento que o projeto implantado, trabalhou também o pensamento do aluno de que as danças melhores são as impostas pela Mídia, e assim resgatamos o gosto pela dança não só regional, mas acima de tudo o prazer de dançar e de estar na escola.
Hoje, já existe um grupo formado pelas alunas Janine, Ana Paula, Aparecida, Jamires que já desenvolvem qualquer coreografia quando solicitadas.
Tânia Maria Rabelo















sexta-feira, 10 de julho de 2009

Escola agência de Letramento


Escola: agência de letramento

Como toda prática social, a leitura e a escrita precisam ser ensinadas, pois não são habilidades que nos sejam inatas.

Antes da existência de um sistema formal de educação em massa, o domínio da leitura e da escrita era adquirido através da interação informal entre grupos diversos da sociedade. Aprendia-se a ler e escrever em casa, na fábrica, na igreja. Aprendia-se através do uso de folhetos, cartas, livros de oração etc., ou seja, através de textos que circulavam no cotidiano das pessoas.

Com a instituição da escolarização formal na Europa do século XVIII, a escola tornou-se a única instituição autorizada a ensinar a ler e a escrever. A partir de então, o processo de ensino destas habilidades substituiu os textos utilizados no cotidiano por um material escrito elaborado para uso escolar. Instituiu-se, assim, o chamado letramento escolar.

Atualmente, discute-se se a escola como uma das principais agências de letramento na sociedade contemporânea tem o direito de restringir o acesso dos alunos a apenas determinadas práticas de letramento. Principalmente se levarmos em conta que, para boa parcela da sociedade brasileira, a escola é o único meio de acesso à aprendizagem da língua escrita. É dever, portanto, das instituições educacionais permitirem à sua clientela o acesso aos diferentes tipos de letramento.

Na esteira dessa discussão, evidencia-se o debate sobre o papel da escola no letramento digital dos seus educandos.

NEHTE-UFPE

Alfabetizar Letrando

quarta-feira, 8 de julho de 2009

GESTAR II

"(...)todas as nossas produções, quer orais, quer escritas, se baseiam em formas-padrão relativamente estáveis de estruturação de um todo a que denominamos gêneros (...)" (BAKHTIN) Com o tema PRODUÇÃO TEXTUAL - A COESÃO E A COERÊNCIA, propsto pelo TP 5, reiniciamos a jornada de enconttros do GESTAR II em Petrolina. Mesmo, com a deflagração da geve dos trabalhadores em educação, os cursistas optaram por permanecerem nesse primeiro encontro. Apesar da instabilidade do momento, o estudo foi bem aproveitado pelos cursistas. Isso demanda e comprova o nível de contentamento, entusiasmo e credibilidade gerado pelo Programa. Um cursista avaliou da seguinte forma "minha prática de sala de aula, hoje é outra. Sinto-me mais segura no que estou fazendo". Esse primeiro encontro do semestre teve como propoósitos, identificar relações lógicas de temporalidade e de identidade na construçãao de sentidos do texto; analisar efeitos de sentido decorrentes da negação; analisar relações lógicas de construção de significados implícitos na leitura e na produção de textos. Para tanto, esses propósitos foram sistematizados em três momentos:
1. OFICINA DE TEXTO;
2.EXPOSIÇÃO TEÓRICA DIALOGADA;
3.OPERACIONALIZAÇÃO DA SEQUÊNCIA DIDÁTICA.
Em relação a avaliação do encontro, os cursistas avaliaram de forma positiva, chegando mesmo a dizerem que sempre fica o "gostinho de quero mais".

Por Aparecida Brandão

terça-feira, 7 de julho de 2009

A Internet na escola

As duas vertentes da Internet, a informação e a comunicação, permitem atividades pedagógicas diferenciadas. Existem três dimensões importantes na Internet que podem beneficiar alunos e professores: a pesquisa, o intercâmbio e a publicação.

Enquanto fonte de informação, a Internet é quase um poço sem fundo para o aluno e para o professor. O professor, por exemplo, pode multiplicar suas fontes de documentos e esses documentos podem ser multimídias (orais e/ou visuais, textuais e/ou icônicos, etc.). Ele também pode melhorar sua própria prática na sala de aula com a ajuda de sites que oferecem conselhos, sugestões pedagógicas ou didáticas.


NEHTE-Multimídia e ensino de língua
Profa. Maria do Rosário Sailler UFPE

A Cartomante - Machado de Assis

/103_anima.swf">

O Ateneu Raul Pompéia

Sobre a obra
O Ateneu publicado no ano da Lei Áurea é considerado o único romance impressionista brasileiro. Conta a história e as vicissitudes do aluno Sérgio que é matriculado no colégio que dá nome ao livro e é a escola da elite brasileira da época.

Assista o LivroClip pra ter uma ideia de como é o Ateneu,mas quando ler o livro não deixe de comentar com os colegas se você gostou!!
abraços,
Profª Tânia

O Ateneu Raul Pompéia

_anima.swf">
Histórias e Conclusões de Cora Coralina



Estavam ali parados. Marido e mulher.

Esperavam o carro. E foi que veio aquela da roça

tímida, humilde, sofrida.

Contou que o fogo, lá longe, tinha queimado seu rancho,

e tudo que tinha dentro.Estava ali no comércio pedindo um auxílio para levantar

novo rancho e comprar suas pobrezinhas.


O homem ouviu. Abriu a carteira tirou uma cédula,

entregou sem palavra.

A mulher ouviu. Perguntou, indagou, especulou, aconselhou,

se comoveu e disse que Nossa Senhora havia de ajudar

E não abriu a bolsa.

Qual dos dois ajudou mais?

Donde se infere que o homem ajuda sem participar

e a mulher participa sem ajudar.

Da mesma forma aquela sentença:

"A quem te pedir um peixe, dá uma vara de pescar".

Pensando bem,

não só a vara de pescar,

também a linhada,

o anzol, a chumbada, a isca, apontar um poço piscoso

e ensinar a paciência do pescador.

Você faria isso, Leitor?

Antes que tudo isso se fizesse


o desvalido não morreria de fome?

Conclusão:

Na prática, a teoria é outra.

segunda-feira, 6 de julho de 2009



Conferência Intermunicipal de educação

Petrolina será palco da Primeira Conferência Intermunicipal de Educação nos dias 20, 21 e 22 de agosto do ano em curso. A conferência será realizada por Petrolina em conjunto com as cidades de Dormentes e Afrânio, trazendo como tema:

CONSTRUINDO O SISTEMA NACIONAL ARTICULADO DE EDUCAÇÃO: O PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, DIRETRIZES E ESTRATÉGIAS DE AÇÃO, que será debatido a partir da composição de seis eixos temáticos. São eles:

1. O PAPEL DO ESTADO NA GARANTIA DO DIREITO À EDUCAÇÃO DE
QUALIDADE ORGANIZAÇÃO E REGULAÇÃO DA EDUCAÇÃO NACIONAL;

2.QUALIDADE DA EDUCÇÃO. GESTÃO DEMOCRÁTICA E AVALIAÇÃO.

3.DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO. PERMANÊNCIA E SUCESSO ESCOLAR.

4.FORMAÇÃO E VALORIZAÇÃO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO.

5.FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO E CONTROLE SOCIAL.

6.JUSTIÇA SOCIL. EDUCAÇÃO E TRABALHO: INCLUSÃO, DIVERSIDADE E IGUALDADE.

A conferência significa um grande avanço rumo a afirmação de políticas públicas centradas na construção de um Sistema Nacional de Educação, que terá como princípios básicos à garantia da qualidade e do direito à educação, guiados pela promoção da inclusão, da democratização da gestão e do direito pleno do cidadão em relação ao acesso e à produção dos conhecimentos que socialmente vão sendo promovidos pela humanidade. A participação dos diversos segmentos sociais legitimarão os princípios de um estado firmado no direito democrático - causa abraçada pela sociedade civil organizada e sua trajetória de lutas favoráveis à construção do processo hegemônico das camadas populares.

By aparecida brandão

domingo, 5 de julho de 2009

Vale a pena ensinar de maneira tradicional usando tecnologias atuais?

ENEM




Mais de 1,9 milhão já se inscreveram no novo Enem

Publicado em 01.07.2009, às 11h37Do JC Online


Mais de 1,9 milhão de pessoas já se inscreveram no novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que este ano servirá como forma de ingresso para pelo menos 37 das 55 universidades federais do País.
São Paulo continua sendo o Estado com o maior número de inscritos (440 mil), seguido por Minas Gerais (200 mil), Rio de Janeiro (154 mil), Bahia (144 mil), Rio Grande do Sul (109 mil), Paraná (102 mil) e Pernambuco (97 mil).
Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a expectativa é chegar a sete milhões de participantes. Na edição de 2008, quatro milhões de estudantes se inscreveram para o exame.
Concluintes de escolas públicas e privadas, egressos do ensino médio e candidatos à certificação (com idade mínima de 18 anos) têm até o próximo dia 17 para se inscrever no exame. O processo de inscrição está sendo feito exclusivamente pela internet, através do site do Inep.
Os alunos de escolas públicas estão isentos da taxa de inscrição. Já os que estudam na rede particular de ensino devem imprimir o boleto e pagar a taxa de R$ 35 em qualquer agência bancária.
O Enem 2009 será aplicado em 1.619 municípios nos dias 3 e 4 de outubro, a partir das 13h, com 180 questões de múltipla escolha e uma redação.

JC Online

Aprender aprender

Projetos com as TICs pode se incluir no projeto geral da escola?


Deve. Mas não como elemento figurativo. A forma de trabalhar com as TICs (Tecnologia de Informação e Comunicação) em sala de aula, representam um salto qualitativo para a escola, para os alunos e para o profissional da educação.
No entanto, esta concepção passa primeiro pela maneira como o educador entende as formas como se aprende e se constroi os conhecimentos. A visão de permitir que muitos compartilhem, colabore é oposta ao modelo tradicional. Isto porque as TICs lançam uma visão de não apenas ser receptor, mas acima de tudo emissores de conhecimento e informação, o bom é que seja orientados pelos professores.
É dentro dessa perspectiva, que os profissionais da educação precisam se apropriar dessa pedagogia e rever suas práticas, planejando os assuntos a serem vivenciados pela turma ao longo do ano letivo. Utilizando-as como um suporte a mais, e não um modelo único de aprendizagem . Um bom exemplo é um blog na sala de aula.
O blog nos dá a oportunidade de investigar e intervir nos textos dos alunos, fazendo comentários instantâneos ou mesmo ajudando-os em buscas. Ajudando-os a serem autônomos nas pesquisas, já conscientizados para os perigos existentes, bem como os direitos autorais.
A existência de um espaço virtual na escola, principalmente em sala de aula, já dá a dimensão da riqueza que será as aulas nesse espaço.
A infinidade de links disponíveis, informações, imagens, fóruns, possibilidades infinitas de aprendizagem, com certeza, eles apontarão outras alternativas de buscas, superando até o mestre. É óbvio que muitos dos alunos já conduz esse processo com facilidade e muitos até melhor do que seus professores. A visão desse entendimento deve ser ampliada e discutida para que muitos despertem para o saber que eles já trazem de casa e do mundo.
Dentro desse processo entra a interdisciplinaridade, naturalmente, e vem corroborar com o conceito de trabalho colaborativo e aprendizagem colaborativa, que deve partir dos docentes, fazendo da interação tecnológica uma “arma” a mais para o aprendiz ser escritor e leitor competente.
É indiscutível incluir no projeto geral da unidade escolar, ficando mais prazeroso transpor as barreiras dos muros da escola com autonomia de aprender e ensinar, despertando acima de tudo para a cidadania.

Cordialmente,

Tânia Maria Rabelo

quarta-feira, 1 de julho de 2009

O percurso realizado pelo nosso idioma desde o século XV, da expansão marítima portuguesa, até o presente momento - quando as antigas colônias portuguesas, hoje países independentes, decidem aprovar, em conjunto, um acordo ortográfico que facilite os processos de comunicação de seus povos - pode ser um excelente motivo para o professor estimular a reflexão de seus alunos sobre a importância do nosso idioma, instigando-os a uma análise comparativa sobre as culturas de países distantes e distintos, mas, ao mesmo tempo, tão próximos entre si pela identidade linguística.Autoras: Rosana Morais Weg e Virgínia Maria Antunes de Jesus
Edição: KlickEducação

O que mudou na escrita da língua portuguesa ?

O que muda com a ortografia da língua portuguesa ?
Saem o trema e alguns acentos, os hífens mudam, entram as letras k, w e y. As alterações nas regras não foram muitas, mas a escrita de algumas palavras pode parecer estranha. Vamos ter de acostumar com ideia, voo, paranoico, frequência, contrarregra... Pesquise um texto com as regras antigas e converta-o para as novas regras.

LER devia ser PROIBIDO...

video

sábado, 27 de junho de 2009

Lendas do Folclore Brasileiro


Cordelistas desvendam o Mistério das Lendas


Introdução: As lendas são mentiras ou verdades absolutas? Desvenda os seus mistérios.

Tarefa/ Missão:

SER UM DETETIVE

1-Pesquisar sobre as origens das Lendas brasileiras por regiões;

2-Conhecer tudo sobre a existência da literatura de cordel e os homens que as divulgam, eles são suspeitos, dizem que eles fazem Xilogravuras;

3-Procurar lenda ou lendas da nossa cidade (Petrolina ou Juazeiro). Nessa missão todos devem ser investigados. Comece interrogando à sua própria família

O processo

Cada grupo ficará com uma região. Mas, ATENÇÃO: cada Equipe deve apresentar um relatório sobre a história da Tarefa 3 e postar no BLOG da escola.
Grupo 1 – Região Nordeste
Grupo 2- Região Sudeste
Grupo 3- Região Norte
Grupo 4- Região Sul
Grupo 5- Centro Oeste
Fases do processo:
a)Pesquisou os sites indicados: 1,0 pontos
b) Conheceu o conteúdo proposto: 2,0
c)Interrogou familiares /amigos acerca do que sabem sobre o assunto indicado: 3,0.
d)Fez a exposição oral dos cordéis à turma:4,0
e) Postou o cordel no BLOG: 5,0

Os recursos
http://www.teatrodecordel.com.br/
http://www.bahai.org.br/cordel/viva.html
http://www.suapesquisa.com/cordel/
http://www.cordelon.hpg.ig.com.br/historia_cordel.htm
http://cordelnarede.zip.net/index.html
http://literaturadecordel.vilabol.uol.com.br/frame.htm
http://www.overmundo.com.br/overblog/literatura-de-cordel-uma-ferramenta-educativa
http://sitededicas.uol.com.br/cfolc.htm
http://www.miriamsalles.info/cndvirtual2004/

AVALIAÇÃO : Vocês serão avaliados pelos seguintes critérios:1
Preparou-se para a realização desta Tarefa
( ) muito ( ) pouco ( ) razoavelmente ( ) não se preparou

Faixa de aproveitamento em relação ao desempenho
Nessa Missão?
( ) entre 100 e 80 ( ) entre 79 e 60 ( ) entre 59 e 40 ( ) abaixo de 40

O cumprimento das tarefas de pesquisas, de casa e trabalhos propostos pelo professor dessa disciplina, no período em que os conteúdos foram apresentados?
( ) excelente ( ) boa ( ) regular ( ) insuficiente

Buscas nos sites
( ) cumpri integralmente ( ) cumpri parcialmente ( ) não cumpri
A participação e comportamento no laboratório e nos trabalhos do grupo na disciplina, nesse período?
( ) excelente ( ) boa ( ) regular ( ) insuficiente

Conclusão
Espero que através deste trabalho vocês conheçam sobre a Literatura de Cordel e possa contribuir para divulgá-la, por ser um gênero da poesia narrativa popular impressa representante da cultura popular Nordestina..

Cordialmente,

Profª Tânia Maria Rabelo

WEBQUEST




Lendas do Folclore Brasileiro
Histórico e Descrição

No dia 22 de Agosto comemora-se o Dia do Folclore. Esta data foi instituída no Brasil em 1965. A palavra surgiu a partir de dois vocábulos saxônicos antigos. "Folk", em inglês, significa "povo". E "lore", conhecimento. Assim, folk + lore (folklore) quer dizer ''conhecimento popular''. O termo foi criado por William John Thoms (1803-1885), um pesquisador da cultura européia que em 22 de agosto de 1846 publicou um artigo intitulado "Folk-lore". No Brasil, após a reforma ortográfica de 1934, que eliminou a letra k, a palavra perdeu também o hífen e tornou-se "folclore". Quem já não se assustou com as histórias de Lobisomem, da Cuca, da Mula sem-cabeça, do Curupira, e do Saci-Pererê-garoto negro com gorro vermelho , cachimbo na boca e de uma perna só, que passa toda a sua existência fazendo travessuras, faz parte do folclore brasileiro. assim como as festas do Bumba-Meu-Boi , o Carnaval, o Boto, a Iara, o Negrinho do pastoreiro, o Caipora, o Boitatá, E quem nunca ficou com medo do Bicho-Papão, que não deixa o menino dormir sossegado. As brincadeiras de roda, trazidas pelos primeiros colonizadores que divertem as crianças até os dias de hoje. Se você perdeu algo já ouviu falar em dar três pulinhos e rezar para São Louguinho. As simpatias e crenças fazem parte da nossa cultura popular, Jogar seu dente que caiu no telhado para ganhar um presente, e muito usado para alegrar as crianças.Em todas as partes do mundo, cada povo tem formas próprias de manifestar suas crenças e costumes: isso é o Folclore.
Principais personagens, Nome da Personagem, Descrição .

Curupira
Mito conhecido da vários índios sul-americanos. Na Venezuela, o chamam de Máguare. Na Colômbia, Selvage. Os Incas peruanos o denominavam Chudiachaque. A cabeça também varia em alguns lugares ele é careca em outros tem cabeleira vermelha.Mas todos os descrevem como anão com os pés às avessas, calcanhar para frente, dedos para trás. Seu rastro engana os caçadores inescrupulosos, fazendo com que eles se percam na floresta. É o protetor da floresta e dos animais.

Saci-Pererê

Negrinho de uma perna só, fuma cachimbo e cobre a cabeça com um gorro vermelho. É inofensivo , se diverte assustando gado no pasto, dando nó em rabo de cavalo e criando pequenas dificuldades domésticas.

Boitatá
Gênio protetor dos campos, aparece sob forma de uma enorme serpente de fogo, que mata quem destrói as florestas. O Padre José de Anchieta, em 1560 é o primeiro a mencionar o Boitatá como personagem de mito indígena brasileiro, esse é o nome dado pelos índios ao fenômeno do fogo-fátuo.

Lobisomen
Homem aparentemente comum, vive e trabalha como os demais da comunidade. Nas noites de lua cheia se transforma em um lobo, ou em um homem com cabeça de lobo e mata quem cruza o seu caminho. Antes do dia clarear readquire forma humana.

Caipora
Segundo a mitologia tupi, um personagem das florestas com a propriedade de atrapalhar os negócios de quem o vê. Quando um projeto sai errado, se diz que seu autor viu o Caipora ou Caapora, Em algumas regiões, é um indiozinho de pele escura, em outras uma indiazinha feroz. É descrito também como criança de uma perna só e cabeça enorme.

Iara
Tem as mesmas características das sereias; mulher da cintura para cima, peixe de cintura para baixo, canto irresistível aos ouvidos dos homens, que atrai para as profundezas das águas, onde habita.

Negrinho do Pastoreio
Na tradição gaúcha, uma espécie de anjo bom, ao qual se recorre para achar objetos perdidos ou conseguir graças. É o negrinho escravo que o dono da estância pune injustamente, açoitando-o e depois amarrando-o sobre um formigueiro, Mas seu corpo aparece intacto no dia seguinte, como se não tivesse sofrido nenhuma picada, e sua alma passa a vaguear pelos pampas.

Anhangá
É um gênio andante, espírito arredio ou vagabundo, destinado a proteger os animais das matas. Ele aparece sob a figura de um veado branco, com olhos de fogo. Quando um caçador persegue um animal que está amamentando, corre o risco de ser atacado pelo Anhangá

Cairara
Na tribo dos Bororós havia um pajé muito sábio. Ele vivia triste por ser gordo e por isso todos o chamavam de cairara. Certo dia, ele descobriu uma erva que os macacos comiam e os conservavam sempre esbeltos e ágeis. Resolveu tomar um chá feito da erva, para ver se ficava esbelto como os macacos. Durante sete dias ingeriu a porção. Ficou esbelto, os cabelos finos se alongaram, as pernas encolheram. Ficou assustado quando viu que até um rabo começou a aparcer. Parou de beber a droga, mas a transformação continuou. Hoje o cairara é uma espécie de macaco fino, inteligente e engenhoso que vive nas matas da Amazônia

Bicho Papão
Diz-se ser uma espécie de home-bicho que amedronta as criança pois pode aparecer para comê-la se a criança não se alimentar direito ou não obedecer aos pais. História mitológica muito usada pelos pais para dominar as crianças.

Chupa-Cabras

Mitologia do sudeste brasileiro principalmente. Um animal parecido com um lobo mata animais domésticos principalmente galinhas, cães, cabras e ovelhas sugando seu sangue através de um foro que faz no pescoço da vítima. Muito difundido no interior do Estado de São Paulo, o Chupa-cabras têm sido objeto de atenção inclusive da imprensa ultimamente.

Nêgo D´água
Esta é a História bastante comum entre pessoas ribeirinhas , principalmente na Região Centro Oeste do Brasil,muito difundida entre os pescadores, dos quais muitos dizem já ter o visto.Segundo a Lenda do Negro D'Água, ele costuma aparecer para pescadores e outras pessoas que estão em algum rio.Não se há evidências de como surgiu esta Lenda,o que se sabe é que o Negro D'Água só habita os rios e raramente sai dele, sua função seria como amedrontar as pessoas que por ali passam, como partindo anzóis de pesca, furando redes dando sustos em pessoas a barco,etc. Suas características são muito peculiares, ele seria a fusão de homem negro alto e forte, com um anfíbio Apresenta nadadeiras como de um anfíbio,corpo coberto de escamas mistas com peleEsta é a História bastante comum entre pessoas ribeirinhas , principalmente na Região Centro Oeste do Brasil,muito difundida entre os pescadores, dos quais muitos dizem já ter o visto.Segundo a Lenda do Negro D'Água, ele costuma aparecer para pescadores e outras pessoas que estão em algum rio.Não se há evidências de como surgiu esta Lenda,o que se sabe é que o Negro D'Água só habita os rios e raramente sai dele, sua função seria como amedrontar as pessoas que por ali passam, como partindo anzóis de pesca, furando redes dando sustos em pessoas a barco,etc,.

Zumbi

Vem do Quimbundo[1] nzumbi, espectro, duende, fantasma. Para as antigas tradições africanas, vem do termo nzámbi, divindade, título adotado pelos chefes sociais. Entre os Cabindas[1], quer dizer Deus. xxxxZumbi foi o título do chefe dos rebelados escravos que se refugiaram no Quilomdo dos Palmares, na Serra da Barriga, em Alagoas. Em Sergipe, Zumbi é um negrinho que se confunde com o Saci, que aparece nos caminhos em meio à mata, e é companheiro da Caipora; mas não tem a carapuça vermelha. Anda nu ou quase nu, sempre procurando crianças que vão pegar frutas sivestres, para desorientá-las com seus longos e finos assobios, ou surrá-las, como faz o Curupira. xxxxNo Rio de Janeiro, fala-se de um Zumbi da meia-noite, um espectro que vagava à noite alta pelas ruas intimidando as pessoas. Relato semelhante a esse, também foi colhido no interior de Pernambuco, apenas que neste, ele canta: "Lá vem o Zumbi da Meia-Noite..", e se perde dançando na noite. Há também referências a um Zumbi diabinho malicioso, moleque. xxxx[1] - Indivíduo Sul-africano ao qual pertenciam, entre outros, os escravos chamados no Brasil de Angolas, Cabindas, Benguelas, Congos, etc.

Mulher da Meia Noite
Também Dama de Vermelho, Dama de Branco, é um mito universal. Ocorre nas Américas e em toda Europa.É uma aparição na forma de uma bela mulher, normalmente vestida de vermelho, mas pode ser também de branco. Alguns dizem, que é uma alma penada que não sabe que já morreu, outros afirmam que é o fantasma de uma jovem assassinada que desde então vaga sem rumo. Na verdade ela não aparece à meia-noite, e sim, desaparece nessa hora. Muito bela, parece uma jovem normal. Gosta de se aproximar de homens solitários nas mesas de bar. Senta com eles, e logo os convida para que a leve para casa. Encantado com tamanha beleza, todos topam na hora. Entretidos, logo chegam ao destino. Parando ao lado de um muro alto, ela então diz ao acompanhante: "É aqui que eu moro...". É nesse momento que a pessoa se dá conta que está ao lado de um cemitério, e antes que diga alguma coisa, ela já desapareceu. Nessa hora, o sino da igreja anuncia que é meia noite. Outras vezes, ela surge nas estradas desertas, pedindo carona. Então pede ao motorista que a acompanhe até sua casa. E, mais uma vez a pessoa só percebe que está diante do cemitério, quando ela com sua voz suave e encantadora diz: "É aqui que eu moro, não quer entrar comigo?". Gelado da cabeça aos pés, a única coisa que a pessoa vê, é que ela acabou de sumir diante dos seus olhos, à meia-noite em ponto.

Chibamba
Fantasma do ciclo das assombrações criadas para assustar crianças, para fazer parte dos seus pesadelos noturnos. É do sul de Minas Gerais. Amedronta as crianças que choram, as teimosas e as malcriadas. Anda envolto em longa esteira de folhas de bananeira, ronca como se fosse um porco e dança de forma compassada enquanto caminha; às vezes gira. O nome é um vocábulo africano, Bantu na verdade, e teria como significado uma espécie de canto ou dança africana à exemplo do Lundu[1].Há uma quadrinha que diz:Êvém o Chibamba, nêném, ele papa minino, cala a boca!..O Chibamba vestido de folhas de bananeira e dançando, lembra a África de onde o nome é originário. Em Angola e Congo ainda os negros, em suas tradições festivas e folclóricas, dançam vestindo elaboradas roupas feitas de folhas, ramos e galhinhos de plantas locais.[1] Espécie de dança nativa africana.
Bruxa
A Bruxa para as crianças é a figura clássica da mulher velha, alta e magra, corcunda, queixo fino, nariz pontudo, olhos pequenos e misteriosos, cheia de sinais nos cabelos, e manchas na pele. O principal trabalho das Bruxas é carregar meninos que teimam em não dormir cedo, ou em alguns casos, mantendo os vestígios do mito de origem Européia, sugar seu sangue sem que ninguém a veja, já que é capaz de se tornar invísivel. No Norte do país, ela é conhecida como Feiticeira. Para evitar que a Bruxa entre numa casa, deve-se riscar nas portas os símbolos cabalísticos; o sinal de Salomão, que é uma estrela de seis pontas, feita com dois triângulos; a estrela de cinco pontas, que é o sagrado pentágono; ou as palhas secas do Domingo de Ramos postas em forma de cruz, ou novelos de fios da fibra de Caroá, planta usada para fazer barbantes, linhas de pesca e tecidos. A Bruxa então é obrigada a parar, e só entrará naquela casa, após contar fio por fio, daquele feixe de fibras de Caroá ou Gravatá.

Matinta Pereira
É uma ave de vida misteriosa e cujo assobio nunca se sabe de onde vem. Dizem que ela é o Saci Pererê em uma de suas formas. Também assume a forma de uma velha vestida de preto, com o rosto parcialmente coberto. Prefere sair nas noites escuras, sem lua. Quando vê alguma pessoa sozinha, ela dá um assobio ou grito estridente, cujo som lembra a palavra: "Matinta Perêra..." Para os índios Tupinambás esta ave, era a mensageira das coisas do outro mundo, e que trazia notícias dos parentes mortos. Era chamada de Matintaperera.Para se descobrir quem é a Matinta Pereira, a pessoa ao ouvir o seu grito ou assobio deve convidá-la para vir à sua casa pela manhã para tomar café.No dia seguinte, a primeira pessoa que chegar pedindo café ou fumo é a Matinta Pereira. Acredita-se que ela, possua poderes sobrenaturais e que seus feitiços possam causar dores ou doenças nas pessoas.

Besta Fera
Este mito, é uma mistura do mito da Mula-Sem-Cabeça e Lobisomem. Não se sabe ao certo de onde sai essa criatura. Acredita-se que na verdade trata-se do próprio Demônio em pessoa, que sai das profundezas em noites de Lua cheia e corre pelas ruas dos povoados e pequenas cidades, só parando quando chega no cemitério da cidade, quando simplesmente, desaparece.
Seria um ser fantástico metade homem metade cavalo. O barulho dos seus cascos correndo é motivo mais que suficiente para as pessoas se trancarem em suas casas nesses dias.
Por onde passa, uma matilha de cachorros, e ouros animais o acompanham numa algazarra infernal. Vez por outra ele açoita os cachorros e os ganidos são pavorosos.
Quando ele pára na porta de uma casa, dá para ouvir sua respiração demoníaca e nessa hora, a pessoa deve rezar o "Credo" para que ele siga seu caminho. O animal que se atreve a chegar mais perto é açoitado sem piedade.

Cobra Grande /Norato ou Honorato
Cobra Norato, ou Honorato, e uma das mais conhecidas lendas do folclore amazônico. Conta a lenda que em numa tribo indígena da Amazônia, uma índia, grávida da Boiúna (Cobra-grande, Sucuri), deu à luz a duas crianças gêmeas que na verdade eram Cobras. Um menino, que recebeu o nome de Honorato ou Norato, e uma menina, chamada de Maria Caninana. Consultando um Pajé se devia matá-los, resolveu deixá-los à margem do rio Tocantins onde eles ficaram "encantados". Lá no rio eles, como Cobras, se criaram. Honorato era Bom, mas sua irmã era muito perversa, um verdadeiro demônio, afogando banhistas, fazendo naufragar embarcações, assombrando viajantes, atacando os animais. Eram tantas as maldades praticadas por ela que Honorato, acabou por matá-la para por fim às suas perversidades. Honorato, em algumas noites de luar, perdia o seu encanto e adquiria a forma humana transformando-se em um belo rapaz, deixando as águas para levar uma vida normal na terra.

Missa dos Mortos
Esta é uma das lendas mais tradicionais do Brasil.Existe um registro muito popular de fatos dessa natureza que aconteceram na Cidade de Ouro Preto, em Minas Gerais, no começo do século XX, por volta de 1900, numa pequena Igreja, que ficava ao lado de um cemitério, a Igreja de Nossa Senhora das Mercês de Cima.Quem presenciou uma dessas missas, foi o zelador e sacristão da Igreja. Ele chamava-se João Leite e era muito popular e querido em toda aquela região. Conta-se que numa noite, já deitado, ele viu luzes na Igreja e pensando que fossem ladrões foi investigar. Para sua surpresa, viu que o templo estava cheio de fiéis, lustres acesos e o padre se preparando para celebrar uma missa.Estranhou todo mundo de roupas escuras e cabeças baixas. E uma missa naquela hora sem que ele nada soubesse???Quando o padre se voltou para dizer o "Dominus Vobiscum", ele viu que seu rosto era uma caveira. Viu que também os coroinhas eram esqueletos vestidos. Saiu apressado dali e viu a porta que dava para o cemitério escancarada. Do seu quarto, ficou ouvindo aquela missa do outro mundo até o fim.
Papa Figo
Ao contrário dos outros mitos, não tem aparência extraordinária. Parece mais com uma pessoa comum. Outras vezes, pode parecer como um velho esquisito que carrega um grande saco às costas. Na verdade, ele mesmo pouco aparece. Prefere mandar seus ajudantes em busca de suas vítimas. Os ajudantes por sua vez, usam de todos os artifícios para atrair as vítimas, todas crianças claro, tais como; distribuir presentes, doces, dinheiro, brinquedos ou comida. Eles agem em qualquer lugar público ou em portas de escolas, parques, ou mesmo locais desertos.
Depois de atrair as vítimas, estas são levadas para o verdadeiro Papa-Figo, um sujeito estranho, que sofre de uma doença rara e sem cura. Um sintoma dessa doença seria o crescimento anormal de suas orelhas. Diz a lenda, que para aliviar os sintomas dessa terrivel doença ou maldição, o Papa-Figo, precisa se alimentar do Fígado de uma criança. Feito a extração do fígado, eles costumam deixar junto com a vítima, uma grande quantia em dinheiro, que é para o enterro e também para compensar a família. Origem: Mito muito comum em todo meio rural. Acredita-se que a intenção do conto era para alertar as crianças para o contato com estranhos, como no conto de Chapéuzinho Vermelho.

Cabeça Satânica
Os relatos são assustadores. Ora descreve-se como a cabeça de uma pessoa, de cabelos compridos, olhos arregalados e amedrontadores, com um grande sorriso na face, a se deslocar rolando ou saltitando pelo chão. Uns a descrevem como a cabeça de um cangaceiro, de feições rudes e sempre com um sorriso à contemplar quem com ela se depara. Pode surgir de repente com se fosse uma pessoa comum. Esta sempre aparece de costas para a pessoa, sempre tarde da noite, em lugares onde há pouca luz. Então aquela pessoa taciturna, de repente, se desfaz caindo no chão e aí surge a assustadora cabeça rolante. Há relatos que a descrevem como sendo uma cabeça conduzida numa das mãos, a segurá-la pelos cabelos, por outro ser fantástico, que a solta quando se defronta com alguém para que esta possa perseguir a vítima. É uma entidade tão temida pelos habitantes das regiões mais remotas, que a simples pronúncia do seu nome, é evitada por todos. Mesmo quanto estão a conversar sobre assombrações, evitam pronunciar tal nome, pois associam o mesmo a encarnação viva do próprio demo, e dizem que basta que ela toque em alguém para que a pessoa adoeça e morra. É portanto sinal de agouro, quando ela corre noites afora, e de repente de detém diante da casa de alguém.

Barba Ruiva
Eis uma lenda sobre a Lagoa de Paranaguá no Piauí. Dizem que ela era pequena, quase uma fonte, e cresceu por encanto. Foi assim: Vivia uma viúva com tês filhas. Um dia, a mais moça das filhas dela adoeceu, ficando triste e pensativa. Estava esperando menino e o namorado morrera sem ter tempo de casar com ela. Com vergonha, descansou a moça nos matos e, deitou o filhinho num tacho de cobre e sacudiu-o dentro da pequna fonte de água. O tacho desceu e subiu logo, trazido por uma Mãe-d'agua, que com raiva, Amaldiçoou a moça que chorava na beira. As águas foram subindo e correndo, numa enchente sem fim, dia e noite, alagando tudo, cumprindo uma ordem misteriosa. Ficou a lagoa encantada, cheia de luzes e de vozes. Ninguém podia morar na beira porque, a noite inteira, subia do fundo dágua um choro de criança. O choro parou e, vez por outra, aparecia um homem moço, muito claro, com barbas ruivas ao meio dia e com a barba branca ao anoitecer. Muita gente o viu e tem visto. Foge dos homens e procura as mulheres que vão bater roupa. Agarra-as só para abraçar e beijar. Depois, corre e pula na lagoa, desaparecendo. Nenhuma mulher bate roupa ou toma banho sozinha, com medo do barba ruiva. Se um Homem o encontra, fica desorientado. Mas o Barba Ruiva não ofende ninguém. Se uma mulher atirar na cabeça dele água benta e um rosário sacramentado, ele será desencantado. Barba Ruiva é pagão, e deixa de ser encantado sendo cristão. Como ainda não nasceu essa mulher valente para desencantar o Barba Ruiva, ele cumpre sua sina nas águas da lagoa.

Cabra Cabriola
Era uma espécie de Cabra, meio bicho, meio monstro. Sua lenda em Pernambuco, é do fim do século XIX e início do seculo XX. Ocorre também outros estados. Era uma Bicho que deixava qualquer menino arrepiado só de ouvir falar. Soltava fogo e fumaça pelos olhos, nariz e boca. Atacava quem andasse pelas ruas desertas às sextas a noite. Mas, o pior era que a Cabriola entrava nas casas, pelo telhado ou porta, à procura de meninos malcriados e travessos, e cantava mais ou menos assim, quando ia chegando:

Eu sou a Cabra Cabriola
Que como meninos aos pares
Também comerei a vós
Uns carochinhos de nada..

As crianças não podiam sair de perto das mães, ao escutarem qualquer ruído estranho perto da casa. Podia ser qualquer outro bicho, ou então a Cabriola, assim era bom não arriscar. Astuta como uma Raposa e fétida como um bode, assim era ela.

Cidade fantasma de Jericoacoara
Alguns habitantes da cidade de Jericoacoara, no Ceará, afirmam que, debaixo do morro do farol local, existe uma cidade encantada, onde mora uma linda princesa. Perto da praia, quando a maré está baixa, há uma furna onde só se pode entrar agachado. Esta furna de fato existe. Só se pode entrar pela boca da caverna, mas não se pode percorrê-la, porque, está bloqueada por um enorme portão de ferro. A cidade encantada e a princesa estariam além daquele portão. A encantadora princesa está transformada, por magia, numa serpente de escamas de ouro, só tendo a cabeça e os pés de mulher. De acordo com a lenda, ela só pode ser desencantada com sangue humano. Assim, no dia em que alguém for sacrificado junto do portão, abrir-se-á a entrada para um reino maravilhoso. Com sangue será feita uma cruz no dorso da serpente, e então surgirá a princesa com toda sua beleza, cercada de tesouros inimagináveis, e a cidade com suas torres douradas, finalmente poderá ser vista. Então, o felizardo responsável pelo desencantamento, poderá casar com a princesa cuja beleza é sem igual nesse mundo. Mas, como até hoje não apareceu ninguém disposto a quebrar esse encanto, a princesa, metade mulher, metade serpente, com seus tesouros e sua cidade encantada, continuam na gruta a espera desse heroí.

Vitória Régia
Os pajés tupis-guaranis, contavam que, no começo do mundo, toda vez que a Lua se escondia no horizonte, parecendo descer por trás das serras, ia viver com suas virgens prediletas. Diziam ainda que se a Lua gostava de uma jovem, a transformava em estrela do Céu. Naiá, filha de um chefe e princesa da tribo, ficou impressionada com a história. Então, à noite, quando todos dormiam e a Lua andava pelo céu, Ela querendo ser transformada em estrela, subia as colinas e perseguia a Lua na esperança que esta a visse.
E assim fazia todas as noites, durante muito tempo. Mas a Lua parecia não notá-la e dava para ouvir seus soluços de tristeza ao longe. Em uma noite, a índia viu, nas águas límpidas de um lago, a figura da lua. A pobre moça, imaginando que a lua havia chegado para buscá-la, se atirou nas águas profundas do lago e nunca mais foi vista.
A lua, quis recompensar o sacrifício da bela jovem, e resolveu transformá-la em uma estrela diferente, daquelas que brilham no céu. Transformou-a então numa "Estrela das Águas", que é a planta Vitória Régia. Assim, nasceu uma planta cujas flores perfumadas e brancas só abrem à noite, e ao nascer do sol ficam rosadas. Origem: Indígena. Para eles assim nasceu a vitória-régia.

Negrinho do Pastoreio
É uma lenda meio africana meio cristã. Muito contada no final do século passado pelos brasileiros que defendiam o fim da escravidão. É muito popular no sul do Brasil. Nos tempos da escravidão, havia um estancieiro malvado com negros e peões. Num dia de inverno, fazia frio de rachar e o fazendeiro mandou que um menino negro de quatorze anos fosse pastorear cavalos e potros que acabara de comprar. No final do tarde, quando o menino voltou, o estancieiro disse que faltava um cavalo baio. Pegou o chicote e deu uma surra tão grande no menino que ele ficou sangrando. "Você vai me dar conta do baio, ou verá o que acontece", disse o malvado patrão. Aflito, ele foi à procura do animal. Em pouco tempo, achou ele pastando. Laçou-o, mas a corda se partiu e o cavalo fugiu de novo.Na volta à estância, o patrão, ainda mais irritado, espancou o garoto e o amarrou, nu, sobre um formigueiro. No dia seguinte, quando ele foi ver o estado de sua vítima, tomou um susto. O menino estava lá, mas de pé, com a pele lisa, sem nenhuma marca das chicotadas. Ao lado dele, a Virgem Nossa Senhora, e mais adiante o baio e os outros cavalos. O estancieiro se jogou no chão pedindo perdão, mas o negrinho nada respondeu. Apenas beijou a mão da Santa, montou no baio e partiu conduzindo a tropilha.

Romãozinho
Era um menino filho de lavrador, e já nasceu vadio e malcriado. Adorava maltratar os animais e destruir plantas, sua maldade já era aparente. Um dia, sua mãe mandou-o levar o almoço do pai que estava num roçado trabalhando. Ele foi, de má vontade é claro. No meio do caminho, comeu a galinha inteira, juntou os ossos, e levou para o pai. Quando o velho viu o monte de ossos ao invés de comida, perguntou que brincadeira sem graça era aquela. Romãozinho, ruim como era, querendo se vingar da mãe, que tinha ficado em casa lavando roupa, disse: - Foi isso que me deram... Acho que minha mãe comeu a galinha com um homem vai lá quando o senhor não tá em casa, aí mandaram os ossos... Louco de raiva, acreditando no menino, largou a enxada e o serviço, voltou para casa, puxou a peixeira e matou a mulher. Morrendo a velha amaldiçoou o filho que estava rindo: - Não morrerás nunca. Não conhecerás céu ou inferno nem descansarás, enquanto existir um único ser vivo na face da terra. O marido morreu de arrependimento. Romãozinho sumiu, rindo ainda. Desde então, o moleque que nunca cresce, anda pelas estradas, fazendo o que não presta; quebra telhas a pedradas, assombra gente, tira choco das galinhas. É pequeno, pretinho como o Saci, vive rindo, e é ruim. Não morrerá nunca enquanto existir um humano na terra, e como levantou falso testemunho contra a própria mãe, nem no inferno poderá entrar.

Boitatá
Diz a lenda que o Boitatá era uma espécie de cobra e foi o único sobrevivente de um grande dilúvio que cobriu a terra. Para escapar ele entrou num buraco e lá ficou no escuro, assim, seus olhos cresceram.--Desde então anda pelos campos em busca de restos de animais. Algumas vezes, assume a forma de uma cobra com os olhos flamejantes do tamanho de sua cabeça e persegue os viajantes noturnos.--Às vezes ele é visto como um facho cintilante de fogo correndo de um lado para outro da mata. No Nordeste do Brasil é chamado de "Alma dos Compadres e das Comadres". Para os índios ele é "Mbaê-Tata", ou Coisa de Fogo, e mora no fundo dos rios.--Dizem ainda que ele é o espírito de gente ruim ou almas penadas, e por onde passa, toca fogo no mato. Outros dizem que ele protege as matas contra incêndios.--A ciência diz que existe um fenômeno chamado Fogo-fátuo, que são os gases inflamáveis que emanam dos pântanos, sepulturas e carcaças de grandes animais mortos, que vistos de longe parecem grandes tochas em movimento.

Mula sem Cabeça
Nos pequenos povoados ou cidades, onde existam casas rodeando uma igreja, em noites escuras, pode haver aparições da Mula-Sem-Cabeça. Também se alguém passar correndo diante de uma cruz à meia-noite, ela aparece. Dizem que é uma mulher que namorou um padre e foi amaldiçoada. Toda passagem de quinta para sexta feira ela vai numa encruzilhada e ali se transforma na besta.Então, ela vai percorrer sete povoados, ao longo daquela noite, e se encontrar alguém chupa seus olhos, unhas e dedos. Apesar do nome, Mula-Sem-Cabeça, na verdade, de acordo com quem já a viu, ela aparece como um animal inteiro, forte, lançando fogo pelas narinas e boca, onde tem freios de ferro. Nas noites que ela sai, ouve-se seu galope, acompanhado de longos relinchos. Às vezes, parece chorar como se fosse uma pessoa. Ao ver a Mula, deve-se deitar de bruços no chão e esconder Unhas e Dentes para não ser atacado. Se alguém, com muita coragem, tirar os freios de sua boca, o encanto será desfeito e a Mula-Sem-Cabeça voltará a ser gente, ficando livre da maldição que a castiga, para sempre.

Cuca
Cuca ou a Coca é um ente velho, muito feio, desgrenhado, que aparece no meio da noite para levar consigo crianças inquietas, que não dormem ou falam muito. Para muitos a Coca ou Cuca é apenas uma ameaça de perigo sem forma. Amedronta pela deformidade. Ninguém sabe ao certo que aparência tem o fantasma. xxxxA maioria, no entanto, identifica-a como uma Velha, muito velha, enrugada, de cabelos brancos e assanhados, magríssima, corcunda e sempre ávida pelas crianças que não querem dormir cedo e fazem barulho. É um fantasma noturno. Figura em todo Brasil nas cantigas de ninar. Não está localizado em nenhuma região específica, mas em toda parte. Atua em todos os lugares mas nunca se disse quem carregou e como o faz. Conduz a criança num saco e some imediatamente depois de fazer a presa, sem deixar vestígios. xxxxEm Portugal chama-se Coca, e possui uma forma de Dragão. Lá, na província do Minho, no meio da procissão de Corpus Christi, a figura de São Jorge a ataca com sua lança. xxxxMas no Brasil, ela não é monstruosa, tem forma humana, tanto que se confunde com o Preto Velho, ou a Negra Velha das histórias.

Vaqueiro Misterioso
Muito comum por todo o interior do Brasil, principalmente nas localidades que tem fortes tradições com o Ciclo do Gado, esta lenda, relatada por muitos vaqueiros, conta que o Vaqueiro Misterioso sempre aparece para participar das competições de derrubada de boi, corrida de argolinha, entre outras de montaria. Ele sempre é descrito como um vaqueiro velho, mal vestido, com um cavalo velho e fraco, participa e ganha todas as competições e quando alguém procura por ele para saber de onde veio acaba sumindo sem deixar nenhuma pista.

Pai do Mato
Esta lenda é muito comum na Região Centro Oeste do Brasil, principalmente em Goiás, segundo a Lenda o Pai do Mato habita as matas defendendo os bichos contra as pessoas, segundo contam poucas pessoas já o viram, pois ele raramente aparece e tem as seguintes caracteristicas:1. Altura de um homem, corpo coberto de pêlos e as mão semelhantes a dos macacos, no rosto ele possui uma barbicha bem vistosa na cor negra, e tem o nariz azul.2. Costuma andar com grupos de caititus (porco-do-mato), onde utiliza o maior animal como montaria.3. Segundo contam o umbigo é seu ponto fraco.

Diabinho da Garrafa
Também conhecido, entre outros nomes, como Famaliá, Cramulhão, Capeta da Garrafa.Este ser é fruto de um pacto que as pessoas afirmam que se pode fazer com o diabo. Este pacto consist,e na maioria das vezes, de uma troca. Por exemplo, a pessoa pede riqueza em troca dá a alma ao diabo.Após feito o pacto a pessoa tem que conseguir um ovo e dele nascerá um diabinho de aproximadamente, 15cm a 20cm. Mas não se trata de um simples ovo de galinha. É, isso sim, um ovo especial, fecundado pelo próprio diabo.
CARACTERISTíCAS: Segundo muitos o Diabinho da Garrafa tem as seguintes características:- nasce de um ovo. Em algumas regiões do Brasil acredita-se que ele pode nascer de uma galinha fecundada pelo diabo, em uotras regiões acreditam que ele nasce de um ovo colocado, não por galinha, e sim por um galo, este ovo seria do tamanho de um ovo de codorna.
Para se conseguir o tal ovo a pessoa deve procura-lo durante o período da quaresma e na, primeira sexta feira após conseguir o ovo, a pessoa vai até uma encruzilhada, a meia noite, com o ovo debaixo do braço esquerdo. Após passar o horário retorna para casa e deita-se na cama. Em aproximadamente 40 dias o ovo é chocado e nascerá o diabinho.Com o diabinho nascido a pessoa deve coloca-o logo na garrafa e fechar bem fechado. Com o passar dos anos o diabinho enriquece seu dono e, quando finda a vida, leva a pessoa para o inferno.

A Porca dos Sete Leitões
Esta é uma lenda que conta a história de uma Baronesa muito má, principalmente com seus escravos, ela os maltratava bastante, não tinha compaixão, nem queria saber de fazer alguma bondade para eles, mas seus dias como uma pessoa normal estavam contados.Os escravos cansados de tanta perversidade resolveram tomar uma atitude... e ai tudo começou.Um feiticeiro negro revoltado com suas injustiças lançou um feitiço na Baronesa e ela foi transformada em uma porca e seus sete filhos foram transformados em porquinhos.Segundo contam, esse feitiço lançado pelo feiticeiro, só será desfeito quando a Baronesa e seus sete filhos, que são a Porca e os Sete Leitões, encontrarem um anel mágico que está enterrado em algum lugar da floresta.Somente depois disso é que quebrarão o feitiço e voltarão a ser humanos.

Capelobo
Lenda muito comum na Região dos Rios do Pará e também no Maranhão. O nome Capelobo é uma fusão com um nome de origem possivelmente indígena: Capê (osso quebrado,torto ou aleijado) + Lobo.O Capelobo pode aparecer com duas formas distintas:Forma de animal: Aparece muito parecido a uma anta, porém é maior que uma anta comum, é mais veloz, apresenta um focinho mais parecido com o de um cão ou porco, e longos cabelos.Forma Humana: Aparece com o corpo metade homem, com focinho de tamanduá e corpo arredondado.Aparece a noite, rondando as casas e acampamentos que ficam dentro das florestas, costuma apanhar cães e gatos recém nascidos, mas quando captura um animal maior ou um homem, ele quebra o crânio e come o cérebro ou bebe o sangue. Só é morto com um ferimento no umbigo.

ONÇA MANETA
Esta lenda é muito contada nas Regiões Sudeste, Norte e Centro-Oeste. Trata de uma onça que perdeu uma das patas dianteiras, possivelmente numa luta contra caçadores.Desde esta luta a onça passou a possuir uma grande força misturada a uma raiva espantosa. Ela costuma ficar escondida nas matas e dificilmente consegue-se vê-la. Quando ela ataca raramente alguém consegue escapar dela, não escolhe sua vitima, ataca quem ela vê, pode ser um bicho, uma boiada, um homem, um grupo de caçadores, nada faz ela ficar com medo.

Onça Boi
Muito comum na Região Norte do Brasil, também conhecida como Onça Pé de Boi, é uma lenda sobre um animal fantástico que muitos pescadores, caçadores e mateirosque se aventuram pelas florestas juram já ter visto.
Segundo os populares suas características são:1. É uma Onça Pintada com a anomalia de ter quatro patas com cascos como os de um boi.2. A Onça-Boi anda sempre aos pares um macho e uma fêmea, isto dificulta muito alguém escapar, pois, se encurralarem a pessoa em algum lugar, elas são capazes de revezar a vigilância do local enquanto uma se alimenta ou dorme.3. A única maneira de matar este animal é, ao avistá-lo, matar primeiramente o macho, assim a fêmea ficará desnorteada e será fácil fugir ou mesmo matá-la também.

O Boto
É uma animal mamífero, parecido com um golfinho, que vive nas águas dos rios. O Boto-cor-de-rosa rosa que deu origem à lenda do Boto vive nas águas da Bacia Amazônica Brasileira e do bacia do rio Orinoco na Venezuela. Podem chegar a medir quase três metros na idade adulta e apresentam podem apresentar coloração rosa, acinzentada(tucuxi) e preta. Diz a lenda que ao anoitecer o Boto se transforma em um belo rapaz, alto e forte e sai a procura de diversão,festas e uma namorada. Vai a várias festas, dança muito, costuma beber bastante também. Antes do amanhecer ele tem que voltar para o rio, pois senão transforma-se em boto novamente. Algumas pessoas relatam que o boto se transforma em um rapaz elegante, bem vestido e que sempre usa chapéu(para esconder um orifício que possui na cabeça). Nas festas ele geralmente seduz alguma mulher bonita, casada ou não, a convida para dançar e depois saem da festa para namorar. Antes do amanhecer ele retorna ao rio, deixando a namorada que geralmente não torna a vê-lo. Pouco tempo depois a moça descobre que ficou grávida do tal moço. Na região Amazônica sempre que uma moça solteira engravida suspeita-se logo que se trata de um filho do boto. Dizem que o boto adora as índias e gosta muito de mulheres com roupas vermelhas.

Lenda da Mandioca
Segundo essa lenda de origem indígena, há muito tempo numa tribo indígena a filha de um cacique ficou grávida sem nunca sem ainda ser casada. Ao saber da notícia o cacique ficou furioso e a todo custo quis saber quem era o pai da criança. A jovem índia por sua vez, insistia em dizer que nunca havia namorado ninguém. O cacique não acreditando na filha rogou aos deuses que punissem a jovem índia. Sua raiva por essa vergonha era tamanha que ele estava disposto a sacrificar sua filha. Porém, numa noite ao dormir o cacique sonhara com um homem que lhe dizia para acreditar na índia e não a punir. Após os nove meses da gravidez, a jovem índia deu a luz a uma menininha e deu-lhe o nome de Mani. Para espanto da tribo o bebê era branco, muito branco e já nascera sabendo falar e andar. Passa alguns meses, Mani então, com pouco mais de um ano de repente morreu. Todos estranharam o triste fato, pois não havia ficado doente e nenhuma coisa diferente havia acontecido. A menina simplesmente deitou fechou os olhos e morreu. Toda a tribo ficou muito triste. Mani foi enterrada dentro da própria oca onde sempre morou. Todos os dias sua mãe, a jovem índia regava o local da sepultura de Mani, como era tradição do seu povo. Após algum tempo, algo estranho aconteceu. No local onde Mani foi enterrada começou a brotar uma planta desconhecida. Todos ficaram admirados com o acontecido . Resolveram, pois, desenterrar Mani, para enterrá-la em outro lugar. Para surpresa da tribo, o corpo da pequena índia não foi encontrado, encontraram somente as grossas raízes da planta desconhecida. A raiz era marrom, por fora, e branquinha por dentro. Após cozinharem e provarem a raiz, entenderam que se tratava de um presente do Deus Tupã. A raiz de Mani veio para saciar a fome da tribo. Os índios deram o nome da raiz de Mani e como nasceu dentro de uma oca ficou Manioca, que hoje conhecemos como mandioca.

Véu da Noiva
O pai da índia Pingo d'Água chamou-a e para comunicar-lhe que estava prometida em casamento para Pucaerin, um bravo caçador. A jovem, assustada, disse a seu pai que não amava o valente índio, e sim Itaerê, e lhe suplicou que reconsiderasse a decisão. O velhoíndio, no entanto, disse que não haveria como, pois tal casamento seria conveniente à paz entre as tribos vizinhas. A bela índia, então, muito triste, disse que pediria forças a deusa Jaci para suportar tal encargo.Á noite, Pingo d'Água saiu a caminhar, pedindo a Tupã que a salvasse do triste destino. Infelizmente, as preparações para o festejo prosseguiram, e Pingo d'Água ia ficando cada vez mais angustiada. pensava que seu amado Itaerê viria e ambos fugiriam. Mas ele não apareceu. Quando começou a celebração, o grande- chefe iniciou a cerimônia, ordenando que trouxessem a noiva. Houve demora, até que vieram avisar que ela não se encontrava na oca. Imediatamente, os índios saíram para procurá-la. Todos desconfiavam que Itaerê a tinha raptado. Seguiram o rastro da moça até perto da cachoeira, de onde as águas caíam a grande altura. Pingo d'Água não mais apareceu. Dias depois, uma criança correu avisar a tribo que havia um corpo boiando próximo às rochas em que as águas da cachoeira despencavam. Era Pingo D’Água, a noiva que acabara morrendo pelo amor de outro homem. A cachoeira recebeu, então, o nome de "Véu da Noiva".

Lenda do Uirapuru
É a lenda de um pássaro especial,pois dizem que ele é mágico, quem o encontra pode ter um desejo especial realizado.O Uirapuru é um símbolo de felididade.Diz a lenda que um jovem guerreiro apaixonou-se pela esposa do grande cacique.Por se tratar de um amor proibido não poderia se aproximar dela. Sendo assim, pediu ao deus Tupã que o transformasse em um pássaro.Tupã transformou o em um pássaro vermelho telha, com um lindo canto.O cacique foi quem logo observou o canto maravilhoso daquele pássaro.Ficou tão fascinado que passou a perseguir o pássaro para aprisoná-lo e ter seu canto só para ele.Na ânsia de capturar o pássaro, o cacique se perdeu na floresta.Todas as noites o Uirapuru canta para a sua amada.Tem esperança que um dia ela descubra o seu canto e saiba que ele é o jovem guerreiro.

A Lenda do Açaí
Há muito tempo, quando ainda não existia a cidade de Belém do Pará, vivia no local uma tribo indígena. Nesta época os alimentos eram escassos e por este motivo o cacique tomou uma decisão muito cruel: resolveu que todas as crianças que nascessem a partir daquela data, seriam necessariamente sacrificadas, uma vez que não haveria alimento suficiente para todos.Porém, Iaça, filha do Cacique, deu a luz a um lindo menino o qual não foi poupado da cruel decisão de seu avô. A índia chorava todas as noites com saudades de seu filho, até que numa noite de lua cheia, a índia ouviu o choro de uma criança. O choro vinha da direção de uma bela palmeira. Quando a índia chegou ao local, seu filho a esperava de braços abertos. Radiante de alegria, Iaça correu para abraçá-lo, mas quando o fez, a criança misteriosamente desapareceu. No dia seguinte, a índia foi encontrada morta, abraçada ao tronco da palmeira. Seu rosto trazia um suave sorriso de felicidade e seus olhos negros, ainda abertos, fitavam o alto da palmeira que estava carregada de frutinhos escuros. Então, o Cacique mandou que apanhassem os frutinhos e percebeu que deles poderia se extrair um suco quando amassados, que passou a ser a principal fonte de alimento daquela tribo. Este achado fez com que o Cacique suspendesse os sacrifícios e as crianças voltaram a nascer livremente, pois a alimentação já não era mais problema na tribo. Em agradecimento ao deus Tupã e em homenagem a sua filha, o Cacique deu o nome de AÇAÍ aos frutinhos encontrados na palmeira, que é justamente o nome de IAÇA invertido.


Professor Umberto e as atividades de Matemática. Gestar II.

Professor Umberto e as atividades de Matemática. Gestar II.
by Tânia

Profª Tânia e alunos do 9ºano. Gestar II.

Profª Tânia e alunos do 9ºano. Gestar II.

Professora Lêuda e alunos.

Professora Lêuda e alunos.
by Tânia

Alunos da 1ª série do Ensino Médio preparam Seminário

Alunos da 1ª série do Ensino Médio preparam Seminário
alunos do 6º ao 9º ano prestigiaram o Seminário

Os autores das Biografias e suas "imagens" no Painel.

Os autores das Biografias e suas "imagens" no Painel.
postado por Tânia

Biografias e Auto retrato dos alunos.

Biografias e Auto retrato dos alunos.
postado por Profª Tânia

O Novo Código Ortográfico

O Novo Código Ortográfico